• Débora Corbucci Peters

Italiano para Toda Obra

Atualizado: 27 de Set de 2019



O que é?

A engenhosidade está presente na cultura e na língua italiana, foi o que sempre fez com que os italianos se sobressaírem desde o design, a moda, o automobilismo até o agro--alimentar. Graças a aguçada intuição dos italianos e a sua criatividade do próprio quotidiano que se pode encontrar no programa de TV, na produção de cinematografia, passando pelos meios como na redação dos jornais até na expressão das artes acrobáticas do dia-a-dia de aposentados, apresentadas com seus dialetos nos frequentes diálogos nos bares, e nos infinitos estilos.


Como é?

Cria novos percursos neuronais e aprimora antigos, amplia redes sociais e inclusive assim o vocabulário de uma língua. É a mudança em todas as escalas. E exponencialmente contribui nos processos de conseguimento de metas e de objetivos mais humanos.

É a troca entre futuros alunos e futuros professores de aprendizados.


Quando é?

Nas mais diversificadas situações que acontecem desde a aurora até o sol se por, do café em casa, ou no bar e no escritório, numa estrada, num supermercado, numa feira (arte, livro,etc), num curso (universitário, extensivo, online ou in site, etc), numa viagem, numa instituição (pública, privada, ONG, etc), num tribunal, na escola, na escola "da vida", etc.


Porque é?

As comunidades de língua italiana estão vivas em mais um país, permitem ao idioma de viver em seu tempo (breve ou longo), incluindo neste suas variações no tempo, no meio, na classe, na geografia, com seus líderes que criam palavras.

Já muito mais além disso as universidades que nos deixam as certificações, graças aos frutos de uma comunidade antiga, porque aconteceu com a fusão de muitas culturas monárquicas de línguas latinas que morreram na ocasião, então isso tem também seu valor, são discretas as novas comunidades, precisamos dedicar-lhe a devida atenção e descobrir seu segredo!


Qual é?

De família indo europeia porta consigo as raízes, os morfemas, e as desinências, que são as partes das palavras, por exemplo, fora os símbolos, além da precisa mímica, isso nas misturas possíveis de sentidos, que os interlocutores podem precisar e negociar ou não, mas impreterivelmente comporão um acordo.


Onde é?

Da Itália, do Vaticano, da Croácia, da Suíça, de San Marino e da Eslovênia, tem uma enorme quantidade de cidadãos (63.000) que o transporta, pois usam isso produzindo seus diálogos, nos vários contextos.

Aproveitamos para individuar, usar e criar modelos como podemos, para em mais de um caso considerar-los fazendo, por exemplo pesquisas, encenações, elenco de características de estereótipos, comunicação que é o que liga um interlocutor com um caso de uso, use case que é uma tarefa ou uma funcionalidade realiza pelo "autor" ou "aluno", cenário que é a sequência de eventos que acontecem quando um aluno interage com o professor sistematicamente, interagem interlocutores, que é aluno-interlocutor o tipo de que pode ser em variadas situações simuladas, etc, naturalmente assim podem ser além de transportáveis, manejáveis ou leves (modelos) os nativos ou novos.


*Quem é o interlocutor italiano?

O curioso, o pronto aos imprevistos, o culto, o luminar, o indisciplinado, o humanista, o leigo é de de boa conversa, embora seja esnobe e até exibido por ser exigente, é a ilustração.


Uma amostra de multimídia em italiano no link abaixo (HTML):


Lezione di design - Tra arte e design, il caso Munari



Débora Corbucci Peters - CPF:274.979.818-38. - Alameda Baepi II, 279. CEP: 11.630-000. - Itaquanduba. - Ilhabela - SP. - Brasil.

- Cell (11) 95491-7604. 

Direitos Reservados

Versão 2019